sábado, 29 de julho de 2017

La Croisade des Innocents - A pureza das crianças contra a devassidão do mundo.


1212, em um pequeno vilarejo da França, iniciou-se um dos capítulos mais obscuros da Idade Média, a Cruzada das Crianças, um misto de fatos misturados com lendas, que culminou em uma terrível tragédia. Um jovem pastor de 12 anos, acreditando estar tocado pela vontade de Deus, empreende uma viajem sem volta com o objetivo de alcançar Jerusalém. Romanceando este evento tão nebuloso, temos o fabuloso trabalho de Usamaru Furuya (Suicide Club, The Music of Marie), que não teve freios em reproduzir de maneira magistral todos os horrores vividos pelas crianças da época, como violência sexual, doenças e fome. Um mangá ficcional, mas que choca pelo seu realismo brutal, sendo um ótimo exemplo das narrativas profundamente psicológicas de Usamaru Furuya.

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Yuki no Touge, Tsurugi no Mai. Dois panoramas do Período Sengoku.


Hoje o Dissidência Pop mergulha de cabeça dentro da história do Japão, mais especificamente no Período Sengoku, umas das páginas mais conturbadas e sangrentas da história do arquipélago nipônico, também sendo considerada a era de ouro dos samurais, servindo de inspiração para incontáveis obras de ficção. Neste contexto histórico se passa a história do mangá que vou analisar, Yuki no Touge, Tsurugi no Mai (Snowy Ridge, Dance of the Blade), de autoria de Hitoshi Iwaaki, o famoso autor de Parasyte. Se você gosta de mangás históricos e histórias de samurais, leia este post com atenção.

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Mel Kishida. Um ilustrador verdadeiramente notável.


Como é de costume, todo mês o Dissidência Pop faz uma postagem sobre o trabalho de algum ilustrador, apresentando um pouco do seu trabalho. No mês de julho não será diferente, sendo assim, trago uma amostra da estonteante arte do ilustrador Mel Kishida. Eu ainda poderia falar muito sobre a qualidade de seu trabalho, mas ela fala por si mesmo, basta olhar suas ilustrações. 

quinta-feira, 6 de julho de 2017

O Problema da Existência na Animação Japonesa.



Aproveitando o ensejo do post publicado recentemente sobre Serial Experiments Lain, estou trazendo uma tradução minha de um artigo científico publicado na revista Proceedings Of The American Philosophical Society, sobre o problema da existência na animação japonesa, onde a autora, Susan J. Napier, professora de estudos japoneses, expõe como as animações trabalham a questão existencial, especialmente no que diz respeito ao conceito de realidade e fantasia. Alguns animes são citados e rapidamente analisados, como Serial Experiments Lain, A Viajem de Chihiro e Ghost in the Shell.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...